Anel Solitário um Presente para a Eternidade! O anel solitário é um estilo de joia ou semi-joia muito utilizado no mundo, desde que a humanidade existe. Pode ser considerado o acessório mais clássico do mundo. Por essa descrição, ele possui características muito ligadas ao elegante e luxuoso. Cada vez mais, o anel solitário é usado para garantir o aspecto chique e fino das composições. Tanto é, que ele é o verdadeiro criador das alianças de casamento e noivado. A história da criação do anel solitário é bem interessante. No ano de 1423, o chefe de justiça da Inglaterra, William Hankford, decidiu presentear a neta que estava sendo batizada. A escolha dele foi um anel solitário. É a primeira utilização deste tipo de acessório que se tem conhecido. Porém, o uso de peças para ornar o corpo vem de muito antes, da pré-história inclusive.

A partir da criação desse estilo de peça na Inglaterra, o anel solitário passou a ser sinônimo de classe e glamour. Não é a toa que hoje ele é utilizado como anel de noivado, casamento, formatura e até mesmo para debutantes mais luxuosas. O principal nome do anel solitário é o diamante. Ele que dá o toque especial para que a peça fique simplesmente maravilhosa. Carrega tradição, valor e muita beleza. É daqueles que se passa de mãe para a filha e existe por toda a eternidade. É um símbolo do amor, mas também do poder, já que são caríssimos. Podem chegar a valer fortunas inimagináveis. Outra lenda diz sobre o uso do anel solitário e sua relação com o amor. Até hoje colocamos as alianças no dedo anular da mão esquerda, aquele que está localizado a veia que faz ligação direta com o coração. Mas essa história é bem antiga. Foi em 1477, quando um rei resolveu presentear sua amada com um anel solitário que se tornaria, futuramente, uma aliança. Era uma peça com um belo diamante em cima e foi dado como uma forma de pedir em noivado a moça. Um jeito de mostrar o significado do amor puro e eterno, causado pela força do diamante.

Feliz dia dos namorados!